sexta-feira, 30 de agosto de 2013

DAMA DE COPAS

E naquela noite ela se despediu, foi embora. Sem contar as estrelas, nem lembrou dos dizeres das cartas mas mesmo assim seguiu. Partiu vazia na ilusão dos contos, brando desencontro, num pranto engano descansou. E chegou a hora de dizer adeus, aos seus, aos meus , aos nossos, vira copos, tortos olhares em vão. Da noite se fez dia, e o sol que escurecia aquele riacho vasto pleno em ebulição, deu lugar a nova vida, semeado coração . As estrelas marinhas deitavam-se em ondas, sonoras, expostas ao mar, e só assim a dama de copas, voltou-se ao espelho retomando o seu lugar. Texto escrito por ¨Tati Lima¨ - O autora permite a reprodução deste texto, desde que ele não seja alterado e seja citada a autoria

Nenhum comentário:

Postar um comentário